Paraty: um guia do que conhecer, ver e fazer

Paraty é um destino único no Brasil. Em nenhum outro lugar você vai encontrar paisagens tão belas, comida tão boa, cultura tão rica, natureza tão exuberante e séculos de história, tudo junto e misturado no mesmo lugar. Nesse artigo elencamos 10 atrações imperdíveis nesta cidade incrível na Costa Verde do Rio de Janeiro.

Passeio de escuna, mergulho na Praia do Sono, almoço em Trindade e tour pelo Centro Histórico super bem preservado. Confira as melhores atrações para curtir alguns dias em Paraty.

Não deixe de reservar seu hotel pelo Hoteis.com, pagando em até 12 vezes sem juros e sem taxas!


1. Faça um tour pelo Centro Histórico

Tradicional fachada dos imóveis do Centro Histórico.
Tradicional fachada dos imóveis do Centro Histórico.

Aproveite para conhecer um dos melhores atrativos de Paraty: seu centro histórico. Suas ruas de pedra e casarões representam um patrimônio histórico que merece ser desbravado. E se você estiver acompanhado de um guia turístico, melhor ainda.

Uma maneira legal e econômica de fazer esse passeio é através do Free Walking Tour, que te permite caminhar e conhecer curiosidades históricas do lugar. Normalmente, o passeio inclui a Praça Matriz, a Igreja de Nossa Senhora dos Remédios, o cais, a Igreja Santa Rita de Cássia, o presídio de Paraty, a Igreja Nossa Senhora do Rosário e São Benedito, a Casa da Cultura e a Praça do Chafariz.

De acordo com a agência que organiza o passeio, o tour sai todos os dias da Praça da Matriz em dois horários: 10h30 e 17h, mesmo debaixo de chuva. No final você contribui com o valor que achar justo, não havendo um valor mínimo definido. Não vá ser mão de vaca nessa hora, ok!?

Além do tour com guia, não deixe de caminhar livre, leve e solto – e sem rumo – pelo Centro Histórico, para conhecer cantinhos escondidos e tirar fotos incríveis ao longo do passeio.


2. Conheça a Praia do Sono

zzzzzzzzzzzzzzzz – Foto: Henrique Ferreira – 2014

Uma das mais lindas e tranquilas da região, a Praia do Sono, localizada entre Paraty e Ubatuba, é toda rodeada pela Mata Atlântica, o que cria uma atmosfera única. Por isso, o lugar é muito procurado por aventureiros e frequentadores de campings. Mas essa tranquilidade tem um preço: seu acesso é um pouco complicado.

De carro, siga pela Rio-Santos sentido Ubatuba e depois pela estradinha que leva a Trindade. Siga as placas para o Condomínio Laranjeiras. A estrada não é muito sinalizada, por isso é melhor colocar o condomínio como destino no Waze. Chegando lá, é preciso procurar um estacionamento nos arredores da Vila Oratório, onde começa a trilha. São poucas as opções e você vai gastar algo entre R$ 15 e R$30 pela diária. Salgado, não?

Sem carro, vá para a rodoviária e pegue um ônibus com destino à Vila Oratória. Verifique os horários previamente para não ficar mofando na rodoviária. A viagem dura uns 40 minutos e caso você queira ir pela trilha, desça no ponto final do ônibus. Se preferir ir de barco, peça pra descer no Condomínio Laranjeiras. Chegando à Vila do Oratório, dê uma voltinha para conhecer o local e depois escolha se você vai encarar a trilha de cerca de 40 minutos ou se vai preferir chegar à praia de barco.

Uma opção bem mais acessível é a Praia das Laranjeiras, que tem aspecto de praia privativa mas é ligada por uma pequena trilha próxima à entrada do condomínio de mesmo nome. É uma praia sem nenhuma infraestrutura de comércio, portanto leve tudo que for precisar.


3. Tome uma Gabriela e um Jorge Amado

Branquinhas e douradas – Foto Marcelo Versoloski

Paraty é um dos maiores e melhores polos cachaceiros do Brasil e visitar a cidade é uma boa desculpa para curtir uns bons drinks preparados com a bebida. Todos os anos, no mês de Agosto, a cidade recebe o Festival da Cachaça, que movimenta uma legião de apreciadores do mais brasileiro dos aperitivos. Consulte a programação oficial.

Produzida na cidade, uma das queridinhas dos turistas é a cachaça Gabriela, facilmente encontrada na grande maioria dos bares e restaurantes locais. Seu gosto é bem harmônico e conta com uma mistura de especiarias como cravo e canela – logicamente – e um toque de gengibre. Uma delícia.

E, claro, também vale levar umas garrafas como souvenir para a família e amigos!
Já o Jorge Amado é um drink preparado com Gabriela, maracujá e limão, em um mix super interessante entre as frutas cítricas e o adocicado da cachaça. Bem refrescante, a bebida é ótima para aliviar o calor, principalmente, no verão.

A homenagem ao escritor baiano tem um fundo histórico e diz muito respeito à cidade, já que a versão cinematográfica da trama foi rodada em Paraty.


Leia mais artigos no blog.


4. Conheça Trindade

Praia do Meio em Trindade

Trindade, que fica na divisa entre os estados de São Paulo e Rio de Janeiro, é um destino encantador. Cravada entre o oceano e a Serra do Mar, o vilarejo faz parte de uma área de proteção ambiental e é um refúgio livre de qualquer agito. O lugar ficou famoso por ser um destino alternativo e reduto dos hippies na década de 70.

Mesmo não sendo mais a aldeia que era no passado, Trindade ainda mantém muito desses ares e continua sendo uma vila bem rústica. Apesar do clima bucólico e bem roots, o destino recebe desde turistas que viajam no velho estilo mochilão até aqueles que prezam por um conforto maior.

Para quem vai fazer um bate-e-volta, o trajeto entre Paraty e Trindade dura cerca de 45 minutos, em ônibus circular. Se tiver alguns dias a mais para aproveitar Trindade, não deixe de visitar a Praia do Cepilho, a Praia de Fora, a Praia dos Ranchos, a Praia do Meio, a Praia do Cachadaço e a Pedra que Engole. Você não vai se arrepender.


5. Curta um passeio de barco ou escuna

Homens ao mar!

Os passeios de barco são a melhor forma de conhecer a costa verde. Cheia de ilhas e praias escondidas, a região favorece o transporte aquaviário, uma vez que os barcos vão te levar a lugares totalmente inacessíveis por terra. Os passeios podem ser de escuna ou de lancha. No Centro Histórico, você terá acesso a uma ampla oferta de passeios, embarcações e rotas. Os passeios são oferecidos por hostels, hotéis e agências de turismo ou diretamente no cais da cidade. É só escolher a que mais te agradar, mas opte sempre por pessoas ou empresas credenciadas.

Para facilitar a vida dos indecisos, o passeio mais clássico e um dos mais em conta é inclui duas ilhas e duas praias (que podem ser a Praia da Lula, a Praia Vermelha e a Ilha Comprida). As escunas saem do Cais de Paraty e navegam por cerca de 5 horas.

Outra opção é fazer um passeio que vá até o Saco do Mamanguá, que apesar do nome horroroso, é um braço de mar de oito quilômetros cercado por montanhas e praias desertas. A água do mar de cor esverdeada reflete as montanhas cobertas de Mata Atlântica. É o único lugar do Brasil com formação de fiorde e o único localizado nos trópicos no mundo inteiro.

Que saco!

6. Percorra o Caminho do Ouro

Sim, Paraty é um destino lindo e muito histórico. Na época do Brasil colônia, Paraty foi uma das áreas que integrou o Caminho do Ouro. Durante este período, a cidade serviu, junto com o Rio de Janeiro, como área portuária de onde partiam navios carregados de ouro das Minas Gerais e recebendo as mercadorias que a colônia precisava, vindas de Portugal.

A Estrada Real foi construída durante o Ciclo do Ouro pelos escravos, entre os séculos 18 e 19. Percorrer este caminho nos conecta com o passado, com nossa história e com a natureza, já que a Estrada Real é emoldurada pela Mata Atlântica do Parque Nacional da Serra da Bocaína.

Um dos pontos altos daqui é encontrar as várias cachoeiras espalhadas pela Estrada Real. Além disso, o caminho é repleto de lojas, alambiques, ateliês e lugares interessantes para uma parada estratégica. Vale a pena! Mas fique atento: alguns locais só recebem visitantes com a presença de guias autorizados.


Saiba como tirar fotos perfeitas na sua viagem. Ouça o episódio 30 sobre fotografias. É só apertar o play.


7. Dê uma esticadinha até Angra dos Reis

Ilha Grande, Ilha enorme – Foto: Josh S Jackson – 2013

Caso esteja com tempo de sobra, vale dar uma esticada até outro destino de respeito: Angra dos Reis, que fica a cerca de 90 km de Paraty. Pela proximidade entre as duas cidades, fechar um roteiro com os dois destinos é altamente viável.

Mas por que visitar Angra? O destino, que é conhecido como Costa Esmeralda, é cercado por praias incríveis, daquelas de tirar o fôlego. Conta com 365 ilhas, uma para cada dia do ano, e oferece cenários impressionantes, com água cristalina e vegetação da Mata Atlântica.

Angra dos Reis oferece ainda boas oportunidades para o mergulho, com várias embarcações naufragadas e uma vida marinha abundante. Além dos famosos passeios de escuna ou lancha, a surreal Ilha Grande também é um dos pontos de destaques de uma viagem ao destino.


8. Faça um bate-volta até a Ilha das Couves

A Ilha das Couves é uma delícia

Continuando com as localidades no entorno de Paraty, é no sentido de Ubatuba que o turista vai se deparar com Vila de Picinguaba. De lá, é possível embarcar em um passeio até a Ilha das Couves, considerada a ilha mais linda de Ubatuba. Seja em um passeio de um dia ou numa extensão das férias, está aí um lugar que vale visitar.

Com natureza bem preservada, a Ilha das Couves é um convite para aproveitar praias paradisíacas, com direito à areia branquinhas e águas azuladas.

Não deixe de fazer um mergulho com snorkel para conferir a natureza exuberante também debaixo d’água. Você vai se deparar com cardumes de peixinhos coloridos, estrelas do mar e, se der sorte, algumas tartarugas. Vale mencionar ainda que suas águas são bem calmas e tranquilas, além de muito cristalina.


9. Aventure-se na Cachoeira do Tobogã

Povo louco – Foto: Pepa Pascual – 2015

Como o próprio nome sugere, a Cachoeira do Tobogã é um grande escorregador natural. Também conhecida como Cachoeira da Penha e afastada da região central de Paraty, a queda d’água e seus três poços são um refúgio nos dias quentes. Enquanto a água corre pela pedra lisa da Cachoeira, os locais se preparam para descer em alta velocidade, executando manobras inacreditáveis. A habilidade da rapaziada é impressionante e eles realmente capricham nas manobras. Apesar do meu trauma com cachoeiras – quase morri em uma no início de 2017 – não tenho como deixar de indicar essa.

Você não vai ser louco de descer em pé, a menos que esteja disposto a perder todos os dentes. Mas mesmo que só queira descer sentado ou para quem só vai assistir, o passeio é um dos mais divertidos da região.

O lugar fica, mais precisamente, no caminho para Cunha e é parte dos passeios de jeep que percorre as cachoeiras da cidade. Para chegar até o poço e aproveitar a piscina natural, basta encarrar uma pequena trilha, que começa em um trecho do Caminho do Ouro, passa pela Igreja da Penha e pelo alambique Engenho D´Ouro, que você pode combinar na mesma visita.


10. Faça um tour por um alambique

Outro passeio bem divertido para apreciadores ou não de uma boa cachaça é uma visita a um dos diversos Alambiques de Paraty, onde será possível conferir todo o processo de produção das cachaças artesanais, além de outras bebidas que também são produzidas a partir da cana-de-açúcar.

A cidade é casa de sete renomados alambiques, dentre os quais destacamos o alambique Maria Izabel, responsável pela cachaça de mesmo nome. Além de descobrir as técnicas de envelhecimento em tonéis de carvalho e jequitibá, você terá a oportunidade de conhecer a própria Maria Izabel, que coordena as visitas. Um luxo, não?!

O Alambique Engenho D’Ouro (aquele que é perto da cachoeira do Tobogã, lembra?) se destaca pela produção de aguardentes tipo exportação, o mais antigo é o Coqueiro, que já passou por cinco gerações de uma mesma família e também merecem destaque os alambiques Corisco e Paratiana, que produz a cachaça Gabriela, Pedra Branca e Maré Cheia.

Confira também outros posts com dicas de Paraty, de onde se hospedar e do que fazer no destino.


2 Comentários

  • Francisco

    Foca, Mah! Como a gente diz aqui no Ceará, “Eu sou um abestado, mesmo!” Já fui duas vezes em Paraty e conheci 10% do que o blog pontua. Notadamente a cachaça, uma praia de ir a pé e o centro histórico. Vou de novo! Fazer o quê? Há de salientar que conheci uma estrada novinha que sai de lá e vai para Cunha, passando por uns lavandários (plantações de lavanda). Vale a pena demais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *